Dados e pesquisas

Dossiês sobre a realidade do aborto inseguro

Ipas Brasil, Grupo Curumim, Cfemea, IMAIS, Rede Feminista de Saúde têm realizado levantamento de estudos e pesquisas, de diferentes fontes, sobre o aborto no Brasil. Esta iniciativa tem gerado dossiês regionais que visam retratar a situação nos estados, apresentando um panorama sobre a situação do aborto inseguro e o impacto da criminalização na saúde das mulheres e nos serviços de saúde. Os dados revelam que a criminalização do aborto tem impacto diferenciado em razão de gênero, raça, educação, idade e classe social em certos grupos de mulheres, gerando desigualdade e discriminação no acesso à saúde. Veja os fact sheets:

Pernambuco | Bahia | Rio de Janeiro | Mato Grosso do Sul | Paraíba

História da Maria do Céu na Terra

História da Maria do Céu na terra é uma publicação pequena e leve composta por duas partes: A “História da Maria do Céu na terra” é narrada por meio de um conto que retrata visão de diferentes mulheres sobre a descriminação do aborto. Maria do Céu e as amigas falam sobre os problemas e expõem a conseqüente cumplicidade entre as mulheres que esse tabu cria. “Tudo bem conversarmos sobre aborto” apresenta a segunda parte que é composta por informações úteis sobre o tema, na secção intitulada “ Você sabia que?”

Leia

Uma em cada 5 mulheres já abortou

Das 2.002 entrevistadas no estudo da Anis, de 18 a 39 anos, 15% declararam que já fizeram pelo menos um aborto. Projetado sobre a população feminina do país nessa faixa etária, que é de 35,6 milhões, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse número representaria 5,3 milhões de mulheres. Até então, as estatísticas disponíveis sobre aborto no Brasil eram as relacionadas a curetagens feitas nos hospitais, uma média de 220 mil nos últimos sete anos.

Leia

“Aborto, por que precisamos conversar?”

A sociedade precisa ter mais e melhores informações sobre o aborto. O que é abortamento? O que é aborto espontâneo? O que aborto inseguro? Quais os fatores que contribuem para que as mulheres adoeçam e morram por conta do aborto no Brasil?

Panfleto | Cartaz

Aborto e religião nos tribunais brasileiros

A pesquisa Aborto e Religião nos Tribunais Brasileiros teve como escopo

o mapeamento dos casos de aborto levados aos tribunais nacionais,
sejam eles estaduais (Tribunais de Justiça) ou superiores (Superior
Tribunal de Justiça e Supremo Tribunal Federal). O recorte temporal
escolhido para a coleta de dados foi o de casos julgados entre os anos
de 2001 e 2006. A partir desse mapeamento, buscou-se identificar as
principais tendências jurisprudenciais sobre o tema, bem como verificar,
nos casos encontrados, a influência religiosa e feminista — em
conteúdos argumentativos ou por meio da participação direta de representantes
desses grupos sociais.



86% dos católicos discordam da excomunhão de mulheres que recorrem ao aborto


Pesquisa realizada pelo IBOPE em julho 2009 a pedido da organização Católicas pelo Direito de Decidir (CDD) – em 142 municípios investigou a opinião dos brasileiros sobre temas relacionados à Igreja Católica. Dentre os católicos entrevistados, 78% declararam que a excomunhão de mulheres que recorrem ao aborto, não contribui para diminuir esta prática.